Formulário de procura

O Veterinário responde

Fale com o nosso veterinário e esclareça as suas dúvidas..

Pergunta enviada

O nosso veterinário responderá à sua questão em breve.

Saiba tudo
sobre nutrição,
saúde e bem-estar
do seu animal de
estimação.

Conheça o nosso veterinário

Dr. Carlos Sousa

Carlos Sousa, licenciou-se pela Faculdade de Medicina Veterinária de Lisboa em 1991, realizando um sonho que alimentava desde criança.

Completou a sua licenciatura com o estágio curricular, na Faculdade Veterinária de Leon, em Espanha, e no Instituto Veterinário do Parque, em Lisboa.

Trabalhou na União Zoófila de Lisboa, no Consultório Veterinário do Barreiro e no Hospital Veterinário dos Foros, antes de realizar um internato de um ano na École Veterinaire D’Alford, em França, nas áreas de cirurgia, ecografia e medicina interna de animais de companhia.

Carlos Sousa, licenciou-se pela Faculdade de Medicina Veterinária de Lisboa em 1991, realizando um sonho que alimentava desde criança.

Completou a sua licenciatura com o estágio curricular, na Faculdade Veterinária de Leon, em Espanha, e no Instituto Veterinário do Parque, em Lisboa.

Trabalhou na União Zoófila de Lisboa, no Consultório Veterinário do Barreiro e no Hospital Veterinário dos Foros, antes de realizar um internato de um ano na École Veterinaire D’Alford, em França, nas áreas de cirurgia, ecografia e medicina interna de animais de companhia.

Durante este período frequentou diariamente a clínica oftalmológica do conceituado oftalmologista Marc Simon, com quem participou em inúmeras consultas e cirurgias oftálmicas, tendo então despertado particular interesse por esta área.

Ao longo dos 20 anos que se seguiram, participou em centenas de congressos e cursos em todo o mundo.

Realizou por várias vezes períodos de treino prático em Hospitais Veterinários de referência em Espanha, França, Reino Unido e EUA, em áreas como oftalmologia, ortopedia, medicina interna e emergências médicas.

Realizou várias formações na área de Gestão Médica.

Fundou, em 1994, a Clínica Veterinária da Póvoa, que num percurso de crescimento deu lugar ao Hospital Veterinário da Póvoa, onde é atualmente diretor clínico.

Coloque-nos as suas dúvidas

Esta área de perguntas e respostas só está disponível para Portugal. No entanto, poderá consultar em baixo as questões colocadas pelos utilizadores ao nosso veterinário.

Tatiana Gameiro

Boa tarde, eu gostaria de adotar um cão de porte pequeno/medio, contudo queria saber quais os cuidados a ter com ele, como por exemplo, quais as vacinas que tenho que dar-lhe, de quanto em quanto tempo, e os seus preços (mais ou menos).

O veterinário responde

Boa noite Tatiana,

A primeira vacina deverá ser efetuada às 6 semanas de idade. Esta primeira vacina permite que o seu cão comece a criar as suas próprias defesas contra uma das principais doenças que afetam os cachorros (parvovirose). Após 3/4 semanas, deverá fazer o 1º reforço contra a parvovirose, protegendo-o ainda contra várias outras doenças, como sendo: esgana, hepatite infeciosa canina, tosse do canil e leptospirose. 4 semanas depois, deverá fazer o 2º reforço. Até completar a primovacinação (programa vacinal inicial), o cachorro não deve passear em locais passíveis de ser frequentados por animais não vacinados e ter contato com animais doentes. A partir dos 4 meses deve fazer a vacina da raiva (obrigatória por lei), sendo que é geralmente feita por volta dos 6 meses de idade. Este é apenas um esquema vacinal frequente, mas deve ser o médico veterinário que fizer o exame clinico do seu cão a estabelecer o programa vacinal mais adequado, de acordo com diversos fatores. Em caso de animais adultos deverão ser efetuadas apenas 2 reforços com um intervalo de 1 mês entre ambos.

Tenha em conta que o custo inerente à vacinação varia, pelo que deverá contactar diretamente o local que selecionou para assistir o seu cão e esclarecer-se sobre os preços aí praticados.

Obrigado,

Carlos Sousa

Sandra silva

Recolhi um cao de porte pequeno da rua! Reparei que ele nao levanta a cauda e que nao controla as necessidades, ele vai fazendo enquanto caminha, esta deitado... fica todo sujo e com um cheiro medonho pk fica td colado no pêlo! Pode dizer.me pf o que sera

O veterinário responde

Boa noite Sandra,

Os sinais que refere parecem sugerir uma patologia a nível neurológico. Pode tratar-se, por exemplo, de uma sequela de uma lesão traumática do passado. Porém, para obter um diagnóstico definitivo, deverá levar o seu cão ao seu médico veterinário que, através de um exame clínico detalhado, irá descobrir a causa dos referidos sintomas.

Obrigado,

Carlos Sousa

Margarida Vilhena

Comprei confortis no veterinario para o meu gato. Dose certa para o peso. Mas, é o 2 mês que lhe dou o comprimido e ele vomita passadas umas horas. Devo suspender esta medicação? Não tem vestigios do comprimido, é alguma comida e aguadilha.Obrigada,

O veterinário responde

Boa tarde Margarida,

Existem várias causas de vómitos: gastroenterite, gastrite, ingestão de corpos estranhos, patologias sistémicas (pancreatites, problemas renais, hepáticos), etc.

Assim como compreende não é possível distinguir qual destas causas é a responsável pelo quadro que refere.

Uma vez que o vómito surge após  a ingestão do comprimido, recomendo que suspenda a sua administração. Caso continue com vómitos deve procurar ajuda do seu médico veterinário.  Este irá realizar um exame clínico completo, recorrendo, eventualmente a exames complementares de diagnóstico para confirmar a origem desses vómitos e iniciar o tratamento adequado.

Obrigado,

Carlos Sousa

Rui

Gostaria de saber o que pode levar o meu gato estar constantemente a fazer xixi sempre no mesmo sitio (fora da sua caixa de areia), sabendo que apenas há pouco tempo lhe deu para isto.

O veterinário responde

Boa tarde Rui,

Quando um gato urina fora da caixa, é importante diferenciarmos três problemas: marcação de território; problemas de saúde ou comportamentais.

Embora a marcação de território seja mais comummente associada a gatos machos não castrados, pode também ocorrer em fêmeas não esterilizadas. A solução para a marcação de território é a esterilização, pois tirando a influência hormonal tem uma grande probabilidade de eliminar este comportamento.

Preste atenção não só ao local da urina, mas também á posição que o gato adota enquanto urina: se fica na posição de micção mais tempo do que o normal, se a urina demora a sair e  goteja, ou até mesmo se sai com sangue. Os problemas mais comuns são cistites, cálculos urinários, diabetes, insuficiência renal e hepática, problemas hormonais. Nesse caso, deverá ser visto pelo seu médico veterinário, o mais rápido possível.

Os problemas comportamentais são mais comuns e nem sempre fáceis de resolver. Os gatos têm peculiaridades para tudo – para comer, para sair de casa e principalmente para sua higiene pessoal. Não deve colocar um granulado na caixa que possua um odor muito intenso. Deve manter a caixa de areia sempre limpa. Os produtos de limpeza à base de amoníaco devem ser evitados uma vez que só vão atrair o gato a urinar novamente, pois o amoníaco “imita” o odor da urina felina. A comida e água devem estar longe das caixas. As caixas têm que ter fácil acesso e ficar em lugares tranquilos. O stress contribui bastante para a caixa deixar de ser usada. Animais novos em casa, festas, uma visita ao veterinário, mudanças, problemas de socialização entre os animais existentes no território, é significativo para que o comportamento felino mude.

Obrigado,

Carlos Sousa

Beatriz

Boa noite. A minha cadela está prenha já fez 2 meses, desde dia 20 de julho e até agora ainda não teve os cachorros. Levei ao veterinário e ele não conseguiu sentir os bebés. Estarão mortos ?

O veterinário responde

Boa tarde Beatriz,

A gestação das cadelas tem um intervalo normal de duração entre 58-68 dias. Se me refere que o dia da cobrição foi dia 20 de Junho, teria, hoje, 52 dias de gestação. A ecografia deve ser realizada a partir do 25º dia de gestação, dia a partir do qual já podemos confirmar a gestação através deste exame. A partir do 45º dia os esqueletos fetais já estão mineralizados, sendo que já podem ser visualizados através de um exame radiográfico. 

Recomendo, por isso, que se dirija com a sua cadela ao seu médico veterinário para realização de ecografia. Este após a confirmação indicar-lhe-á todos os cuidados necessários durante este período.

 Obrigado,

Carlos Sousa