Formulário de procura

Serão os gatos um risco durante a gravidez?

Segurança

00:00
5
A sua classificação: Nenhum (1 vote)

Enviar vídeo a um amigo

Preencha os campos indicados em baixo.

Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

O vídeo foi enviado.

Ocorreu um erro ao enviar o seu vídeo.

Tente novamente.

Descrição

A grande razão deste mito que leva muitas vezes ao abandono de gatos, deve-se a uma doença chamada toxoplasmose, causada por um parasita, cujo hospedeiro definitivo é o gato e que quando infecta mulheres nos primeiros meses de gravidez se pode alojar no cérebro ou olhos do feto, causando malformações graves.

A grande razão deste mito que leva muitas vezes ao abandono de gatos, deve-se a uma doença chamada toxoplasmose, causada por um parasita, cujo hospedeiro definitivo é o gato e que quando infecta mulheres nos primeiros meses de gravidez se pode alojar no cérebro ou olhos do feto, causando malformações graves.

No entanto, este parasita só é transmitido por um gato que se tenha contaminado, comendo ratos contaminados e que elimina o parasita nas fezes apenas uma vez durante 3 dias, ovos esses que teriam de ser ingeridos por uma mulher grávida que não esteja imune a toxoplasmose. Todas estas premissas juntas, fazem com que a contaminação através dos gatos, nos dias de hoje, só aconteça em zonas rurais, nas quais os gatos caçam e, simultaneamente, existam poucos cuidados de higiene.

A forma de contágio mais frequente é, portanto outra, geralmente a alimentação, dado que os ovos eliminados nas fezes do gato só representam um perigo se forem ingeridos pela parturiente. Comer saladas mal lavadas, carnes cruas ou fumadas e mexer em terra e comida sem lavar as mãos, são exemplos de riscos bem mais importantes do que o simples contacto com o seu gato de casa.

Pode, finalmente, ficar bem mais descansada se fizer um teste ao seu gato que revelará se está ou esteve contaminado por este parasita e saber, assim, se representa ou não um potencial risco. Da mesma forma, hoje em dia, todas as mulheres são testadas para a presença de imunidade contra este parasita, o que é controlado ao longo da gestação, permitindo atuar caso o contágio acontecesse e evitando os riscos para o bebé.